Diretoria do SINPOL/AC é acionada por associados para dar suporte a policiais civis após princípio de incêndio na Defla

Polícia Técnica esteve no local e apontou para indícios que o incêndio possa ter iniciado por uma pane elétrica.
18/03/2024 20/03/2024 17:14 142 visualizações

A diretoria do Sindicato dos Policiais Civis do Acre (SINPOL/AC) foi acionada por associados para dar suporte aos policiais civis que estavam de plantão na Delegacia de Flagrantes (Defla), na noite deste sábado (16), em Rio Branco, onde houve um princípio de incêndio. 

 

Ao notarem o alastramento das chamas, os plantonistas agiram de forma rápida, desligando a energia elétrica e fazendo a utilização de extintores de incêndio de seus veículos particulares e baldes de água, no intuito de controlar o fogo e evitar um sinistro de maiores proporções. 

 

Mesmo com a iniciativa dos policiais plantonistas, o incêndio se alastrou rapidamente, consumindo móveis, equipamentos e documentos. O fogo atingiu também o corredor, danificando parte do forro PVC, que veio a desabar. Segundo nota divulgada pelo Governo do Estado, cerca 5% do prédio foi atingido. No momento do acontecido não havia preso nas celas e nenhum outro cidadão ou policial ficou ferido.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Corpo de Bombeiros foi acionado de imediato e, ao chegar ao local, realizou os protocolos de resfriamento do ambiente, e, em seguida, utilizaram técnicas de ventilação para dissipar a fumaça. Após os procedimentos de contenção das chamas, toda a área foi isolada para os trabalhos periciais no local. De acordo com informações do 3º Batalhão do CBMAC, a Polícia Técnica esteve no local e apontou para indícios que o incêndio possa ter iniciado por uma pane elétrica. 

“Nossa categoria continua tendo suas vidas colocadas em risco no exercício da função. Os fatos estão aí para comprovar que pedimos o mínimo de dignidade, quando cobramos melhores condições de trabalho.  É um teto que desaba ou um princípio de incêndio dentro do local de trabalho, sem as mínimas condições necessárias para o combate, diga-se de passagem. Até quando nossos policiais ficarão à mercê da própria sorte?”, salientou o presidente do SINPOL/AC, Rafael Diniz.